FAQ

O PegaBot funciona com todas as redes sociais?

Por enquanto, não. Neste primeiro release, temos acesso apenas ao Twitter. Facebook, WhatsApp e outras redes sociais impõem mais barreiras de acesso à API, por isso ainda estamos trabalhando para que as próximas versões do PegaBot já estejam integradas a essas plataformas.

O que é um Twitter Bot?

Um Twitter Bot é uma conta controlada por um algoritmo ou script, normalmente utilizadas para realizar tarefas repetitivas, por exemplo, retweetar conteúdo contendo palavras-chave particulares, responder a novos seguidores e enviar mensagens diretas a novos seguidores. Twitter Bots mais complexos podem participar de conversas online e, em alguns casos, tem um comportamento muito parecidos ao comportamento humano. As contas bot compõem entre 9 e 15% de todas as contas ativas no Twitter, mas estudos mais aprofundados indicam que este percentual pode ser ainda maior devido a dificuldade de identificar os bots complexos. Os bots do Twitter geralmente não são criados com intenção maliciosa; eles são freqüentemente usados ​​para melhorar a interação on-line ou na prestação de serviços por empresas, governos e outras organizações, por isso é importante separar os bons bots dos maus bots.

O que a nota significa?

O Pegabot analisa o histórico de postagens do perfil da rede social que você pede para ser analisado. Neste momento o Pegabot se baseia em padrões de comportamento para identificar se é mais provável um humano que utilize aquele perfil, ou um robô. Os critérios para fazer essa avaliação são o intervalo de tempo entre cada postagem (um intervalo pequeno entre cada postagem, 2 segundos por exemplo, podem indicar que a postagem foi feita por um robô); a frequência e a aleatoriedade no tempo em que as postagens são feitas (postagens feitas sempre no mesmo horário, às 10 horas da manhã, por exemplo, podem ter sido feitas por um robô); e a pessoalidade dada aos textos postados (textos repetidos ou extraídos de outras publicações, pré-formatados, são um indicativo de ele ter sido feito por um robô). Com base na média geral das postagens do perfil, o Pegabot dá uma nota, que indica a probabilidade daquele perfil ser ou não um robô.

Como eu deveria interpretar as notas?

Quanto maior a nota, maior a probabilidade de a conta ser um bot. Cada perfil pesquisado ocupa uma zona do medidor: roxa, amarela ou verde. Se o perfil pesquisado estiver na zona roxa, a chance de ser um bot é alta. Muitos resultados são classificados na na zona amarela, o que significa que existem elementos suficientes para suspeitar de uso de bots, mas em menor nível. Pode ser também que seja um perfil usado com pouca frequência, ou um uso humano muito repetitivo. Se é verde, provavelmente é humano.

O resultado está errado! Tenho certeza de que uma conta é bot/humana.

O PegaBot ainda está em fase de testes, a precisão dos resultados vai melhorar com o tempo. Em breve, você poderá submeter esse erro para analisar e corrigir o erro. Dito isso, detectar bots é mesmo uma tarefa difícil (se fosse fácil as empresas de mídias sociais já teriam solucionado todo o problema). Nossa plataforma funciona reconhecendo padrões comportamentais. Por isso, os resultados devem servir para complementar, e não substituir, a sua própria opinião.

Como posso avaliar o resultado?

Ao ter um indicativo que uma conta pode ser ou não um Bot é importante que você faça uma análise subjetiva do perfil que está tentando analisar. Isso quer dizer, verifique os possíveis fins que o determinado perfil está tentando atingir. Se você identificar que o perfil serve só para divulgar a mensagem de outra pessoa, ou que na maioria das vezes esse perfil existe para atacar alguém ou um grupo específico, mas chances desse perfil se confirmar ser um bot aumentam muito. Nesse caso, vale questionar os possíveis beneficiados pela atuação daquele bot se o perfil realmente é um bot e por que a pessoa beneficiada está se utilizando desse recurso. Se for um político, por exemplo, pergunte diretamente ao político se ele sabe que existe um bot trabalhando para ele e se ele acha correto o comportamento que o bot está tendo.

Quem desenvolveu o PegaBot?

O PegaBot é desenvolvido pelo Instituto Tecnologia & Equidade (IT&E) e Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS Rio). Para as análises não linguísticas utilizamos a API do Botometer, o qual é um projeto desenvolvido entre a Indiana University Network Science Institute (IUNI) e o Center for Complex Networks and Systems Research (CNetS). A marca, bem como os códigos fontes da API, são de propriedade da IUNI e CNetS e o Pegabot não tem acesso nem disponibiliza qualquer parte do código proprietário em nosso repositório público do github. Nosso repositório contém APENAS OS CÓDIGOS FONTE REFERENTES À CAMADA DE FRONT-END do Pegabot, o qual pode ser livremente estudado, alterado, distribuído e utilizado para qualquer fim.

NOSSAS AVALIAÇÕES DE PERFIS ROBÔS UTILIZAM OS RESULTADOS OBTIDOS ATRAVÉS DO SERVIÇO OFERECIDO PELO SERVIÇO BOTOMETER, MAS NÃO SE LIMITAM A ELES PARA APRESENTAR O RESULTADO FINAL, PODENDO INCLUIR NOVOS CRITÉRIOS E AJUSTAR OS RESULTADOS CONFORME O CONTEXTO REGIONAL E LINGUÍSTICO.

Quem financia o PegaBot?

O Pegabot é uma iniciativa do Instituto Tecnologia e Sociedade do Rio e do Instituto Tecnologia & Equidade. Ambas as organizações vêm utilizando recursos próprios para o desenvolvimento desse projeto, por entender que a disponibilização de uma ferramenta como esta é fundamental para a democracia brasileira. Caso você também queira apoiar o projeto, escreva para [email protected]